quinta-feira, 18 de março de 2010

Jovens indígenas AJI

Ser jovem e ainda indígena não está muito no vocabulário da sociedade, venho por meio desta homenagear aos meus queridos colegas de trabalho, e a todos os jovens que fazem parte da AJI ou que já passaram por aqui, também a todos os jovens da Reserva indígena de Dourados.

Somos muitos fortes e guerreiros, a ponto de colocar nossa cara a tapa e seguir lutando pelo nosso direitos e inclusão dentro da sociedade, hoje os jovens são reconhecidos, a sociedade não tem querer e sim aceitar, estamos ai, continuando nosso trabalho, hoje formados em audiovisual e muitos outros, temos uma ferramenta

muito importante e poderosa em nossas mãos.

Sem contar que hoje temos o site e blog da AJI, é tudo que um jovem precisa para se expressar e mostrar ao mundo que existimos e estamos aqui na luta, Somos capazes e estamos fazendo acontecer de uma forma ou outra.

Nossas ferramentas hoje:


Audiovisual

-Tele jornalismo

-Vídeos

-Site/Blog/Fotolog

-Jornal impresso e online

-

Oficinas na aldeia

Somos uma imprensa

formado por jovens,

tenho muito orgulho de cada jovem da AJI, pensar que hoje temos capacidade de sentar, discutir, levantar uma pauta, produzir o roteiro de um vídeo, pegar os nosso materiais e sair em equipe para a produção de uma matéria jornalística.

Pensar que hoje durante as oficinas na aldeia, o aluno chega e te chama de professor(a). É alegria enorme, saber que estamos fazendo acontecer.

Pensar que já sentamos, discutimos, a equipe entra em crise mas paramos para pensar, temos mais o que fazer do que brigar, e é aqui o nosso espaço.

Acredito que os jovens da AJI serão uma nova geração dentro da aldeia, aquela geração que irá lutar e buscar, brigar em busca de seus direitos e necessidades.

É uma honra quando sentamos em uma mesa de discussão em um festival nacional para debater os Vídeos da AJI e falar das realidades dos jovens da Reserva indígena de Dourados, ou quando sentamos todos para darmos autografo dos livros AJI.

Sem contar quando recebemos convite formalmente para participarmos de reuniões importantes, marcar

presença.

Uma das noticias muito boa que a AJI já recebeu foi que o jornal AJIndo está sendo estudado dentro das salas de aula na aldeia. Ou seja, estamos fazendo a diferença, e sendo positiva melhor ainda, pois abordamos em nosso jornal sobre a educação, saúde, prevenção, violência/segurança, e se isso está dentro da sala de aula significa que dali algum frutos esses alunos irão tirar.

A AJI tem

tido muito resultados positivos, e tem vindo de dentro da aldeia, isso por que antes a AJI era barradas pelas lideranças nas reuniões, encontros

e outros. O que dava a entender é que não queriam que os jovens indígenas buscassem seus espaços e seus direitos, está certo que temos que respeitar pois são lideranças, mas, os jovens também existem e merecem ser respeitados. Havia um preconceito vindo de dentro da própria aldeia, mas somos fortes e vencimos mostrando a

eles que podemos através do nosso trabalho.

Quero dizer hoje que sou uma menina feliz, pois tive essa oportunidade de aprender, lutar e fazer acontecer, com a ajuda claro de todos os meus colegas, Nilcimar Morales, Ana Claudia de Sousa, Tânia Porto, Kenedy de Sousa, Emersom Cabreira, Indianara Ramires Machado e Rosivânia Espíndola. Este homenagem é dedicada a esses jovens guereiros.

Quem diria que
estamos hoje

neste nível, eu digo DEZ, nivel dez.

Devemos tudo isso a nossa querida Lú, a pessoa que nos abriu o caminho e nos deu essa grande oportunidade. Ela é a única e grande responsável por

fazer acontecer este lindo trabalho, foi atrás de cada jovem que hoje está ativo aqui, e não pense que cada jovem que hoje está aqui tinha uma vida boa, uma casa boa, uma boa educação, um carinho de mãe, de pai, não foi uma coincidência, mas paresce que foi uma seleção de jovens problemáticos, depressivos, e muitas coisas que um jovem tem.

Para chegar onde estamos hoje foi um longo caminho, suado, mas vencimos e somos declarados jovens indígenas guerreiros. A Lú hoje é uma grande amiga nossa, a presidente da AJI

Hoje também temos outros que nos apoiam em nossas atividades, assim como Itacir Pastore, Vera Lucia e outros.

Somos jovens, com muita trabalho pela frente, em busca de um futuro melhor, pelo direito de cada um, pelo respeito e reconhecimento.

É isso ai galera, todos estão de parabéns, por estar nessa luta com muita sede de vontade.

Homenagem Jaqueline Gonçalves

A todos os jovens da AJI.
















3 comentários:

Ricardo Ribalda disse...

Olá amigo:
Parabéns pela sua nomeação no The BOBs, o meu blog: La Vuelta al Mundo de Asun y Ricardo também foi indicado como o Melhor Weblog em espanhol.
Você tem um blog muito interessante, eu votei.
Se você quiser ver a mina em sua língua, na primeira página eu próprio tradutor automático do Google.
Obrigado e boa sorte.

Su disse...

Jovens pela idade, mais grandes em suas aspirações, grandes em seus sonhos, e grandes em cada batalha vencida. Parabéns jovens guerreiros, que são espelho para as futuras gerações. A todos a homenagem da galerinha aqui de Amambai. Mega beijo

cristiane disse...

parabéns pelo trabalho, essa é uma forma de mostrar a sociedade como é e o que acontece realmente dentro da aldeia, e ainda por membros da aldeia.Mais uma vez parabéns e continuem esse trabalho maravilhoso, sucesso!!!